terça-feira, fevereiro 22

BRASSNECK Hoje vou falar-vos de uma das vantagens de viver numa cidade do mundo civilizado e ela chama-se Wedding Present. Por influência do "big brother", ouço estes gajos há mais de 15 anos e vi-os ao vivo em 1996 no Festival de Reading. Agora, depois de cinco anos de ausência, o cabecilha David Gedge recrutou novos músicos e lançou a 14 de Fevereiro um novo álbum, "Take Fountain". Onde é que está vantagem de Paris nisto? É que os Weddoes iniciaram uma digressão pelo Reino Unido, Alemanha, Suíça, Holanda, Noruega e Paris está no caminho. É a 16 de Março e os bilhetes já cá cantam.

1 comentário:

big brother disse...

Sou fã dos Wedding Present desde 1986. E isto graças a uma das minhas idas a Londres para comprar os discos que cá não encontrava. Descobri-os através de uma mísera cassete que vinha agarrada a um número do New Musical Express. Esta cassete (conhecida por "NME C86" - http://www.twee.net/misc/release.htm?key=nmec86), é hoje um objecto de culto raríssimo e muito valorizada pelos coleccionadores. Da minha cassete já não sei, mas comprei mais tarde um versão em vinyl, reedição da versão original.
Das bandas da compilação talvez apenas os Primal Scream tenham ficado conhecidos, mas foram estas que influenciaram milhares de outras que surgiram depois, tendo provavelmente nascido aí o termo "indie pop". Esta cassete foi aliás tão influente que ainda hoje é comum o termo "C86 Bands" (http://www.indie-mp3.co.uk/gallery.htm). Foi uma fase de muito criatividade musical.
A maioria dessas bandas já "morreu", mas os Wedding Present continuaram. A vantagem foi que apesar de manterem aquele tom original, souberam ir evoluindo. Prova disso, o genial Seamonsters, produzido pelo Steve Albini, acrescentando "power" ao seu pop rasgado.
Pelo meio, umas 4 dezenas de singles, 11 discos de originais, um deles de homenagem à música tradicional ucraniana (Ukrainski Vistupi V Johna Peela). E muitas covers... por curisidade: http://web.inter.nl.net/hcc/C.A.Severien/covers.htm

Em quase 20 anos de fã ainda não os vi ao vivo! Pode ser que este ano algum dos muitos festivais em Portugal se lembre de os trazer cá.

Bom concerto!